Os cinco sinais de insatisfação negativa no trabalho - by Max Gehringer

2008-06-17 8:00 AM by Andarilho

Transcrição dos comentários do Mr. Max, para CBN, do dia 16/06/2008. Áudio original disponível na página da CBN.

Os cinco sinais de insatisfação negativa no trabalho

Recebo muitas consultas que partem da frase: "Estou insatisfeito". Isso nada tem de anormal, porque várias pesquisas através dos anos, vêm mostrando que insatisfação no trabalho é como colesterol: todo mundo tem e pode ser bom ou ruim.

Os insatisfeitos se dividem em duas categorias: a primeira é a dos que estão insatisfeitos consigo mesmos. Essa é a insatisfação positiva, porque força a pessoa a tomar atitudes pró-ativas, como estudar, se aperfeiçoar ou se esforçar para ser mais produtiva nas tarefas e mais política no relacionamento.

A segunda categoria é a dos que acreditam que a culpa é dos outros. Esse é o perigo, porque a situação só vai piorar a cada dia que passa, e no mais das vezes, acaba resultando na perda do emprego. Existem cinco sinais dessa insatisfação negativa:

1º, a sensação de isolamento. A pessoa se sente como se não fizesse parte do ambiente de trabalho.

2º, a relação com o chefe direto. Ela é conflitante, ou pior ainda, é distante.

3º, a falta de integração. A pessoa nunca é convidada a participar de atividades que fogem da rotina de trabalho, dentro ou fora da empresa.

4º, a sensação de inutilidade. O trabalho está abaixo de sua capacidade, e muito abaixo de seu potencial.

5º, a percepção de que a carreira estacionou. Porque colegas menos qualificados já receberam aumentos ou foram promovidos.

Quando esses cinco sinais se juntam, a pessoa vai para a marca do pênalti. E numa futura entrevista, terá dificuldade para responder à pergunta: qual foi o motivo de sua demissão? Foi inveja dos colegas, incompetência do chefe, miopia da empresa? Não, foi apenas a incapacidade para transformar a insatisfação negativa em insatisfação positiva.

Max Gehringer, para CBN.

14 comentários:

  1. Lomyne said...

    Ah, tá! E quando se trabalha com um bando de pós-teenager que nem sonha o que é profissionalismo a culpa ainda é minha? Sei lá, viu, de vez em quando fico indignada com esse discurso generalizante de RH! Porque mesmo que a gente se torne exatamente como eles definiram como bom, quem acaba promovido é o puxa-saco ou amigo do dono, ou filho do amigo do dono. Ou a loira de mini-saia.

  2. said...

    Me identifiquei com duas das afirmações, acho que estou passando por uma fase desgostosa no trabalho.

    Bjo

  3. Lomyne said...

    Poxa, tudo na vida tem uma ordem... Primeiro eu vi aquele pop-up medonho, enquanto estava tentando entender o que estava acontecendo com o blogger. Só depois consegui acessar meu blog pra ir lá baixar... Se você prestar atenção vai ver que primeiro eu postei o pop-up, depois falei do Mozilla!!! Não briga assim comigo...

  4. Lomyne said...

    Chato, chato, chato! hehehe... Quase mais chato que o Junior do uatafóc...

  5. said...

    Selo pra tu no blog!

    Bjo

  6. Anonymous said...

    Esse texto tem que ser revisto quanto tratamos de empresa pública !!!

  7. Anonymous said...

    Não acho que seja uma questão simples de não saber transformar insatisfação negativa em positiva, pois quando você faz um trabalho que você detesta, que só te estressa e que te faz repensar o porque de tanto esforço a vida inteira investindo em bons colégios públicos, concursos, é impossível tal transformação. Diariamente me sinto um lixo porque embora goste muito dos meus chefes, não estudei a vida inteira e escolhi fazer uma faculdade cujo acesso é muito limitado para acabar no atendimento a cliente de uma grande empresa.

  8. Anonymous said...

    Não acho que seja uma questão simples de não saber transformar insatisfação negativa em positiva, pois quando você faz um trabalho que você detesta, que só te estressa e que te faz repensar o porque de tanto esforço a vida inteira investindo em bons colégios públicos, concursos, é impossível tal transformação. Diariamente me sinto um lixo porque embora goste muito dos meus chefes, não estudei a vida inteira e escolhi fazer uma faculdade cujo acesso é muito limitado para acabar no atendimento a cliente de uma grande empresa.

  9. Café com Marketing said...

    Isso sem falar qdo a gente se dedica, assume até as responsabilidades que não nos pertencem, damos o sangue e os chefes continuam pagando pouco e cobrando muito...

  10. Anonymous said...

    Nem sempre o mais capacitado é promovido primeiro. Ainda mais quando a empresa não é transparente,e sempre puxa pro lado de outros que nem ao menos sabe o que é seu trabalho. Isso traz indignação mesmo. Que bom seria se ao pedir conta o funcionário não perdesse todos os seus direitos. Acho que assim os empresários iriam cuidar melhor da satisfação dos funcionários.

  11. Julio said...

    Ahhhh claro, lógico. Resumindo o que você disse: Se está insatisfeito, o defeito está em você e nunca nos outros!

    Se trabalha para um chefe incompetente, imaturo e crítico o erro é de quem...adivinha? Seu mesmo!

    Se trabalha em um ambiente nocivo e erro é de quem? Adivinha...seu também!

    É por essas e outras que Einstein disse: "Existem apenas duas coisas infinitas - o Universo e a estupidez humana. E não tenho tanta certeza quanto ao Universo."

    Você deve ser um workaholic puxa-saco de chefe...

  12. Anonymous said...

    É só puxa saco que é promovido, vira amiga intima do gerente que vc consegue tudo!

  13. Anonymous said...

    aqui o chefe promove pessoas sem estudos porque fala que é facil lidar, não adianta ser profissional e se dedicar

  14. Anonymous said...

    Me identifiquei com os cinco fatores, muito embora me relacione muito bem como meus superiores, sinto essa frustração, por que na minha profissão, tenho que resolver os problemas da empresa por uma remuneração insignificante, enquanto a empresa ganha milhões com os problemas que eu resolvo, minha vida continua na mesma

Blog Widget by LinkWithin