2013-11-15

'Em entrevista de empregos, o que devemos revelar e o que não devemos revelar?' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 15/11/2013, sobre o que não precisa ser dito em uma entrevista de emprego.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Em entrevista de empregos, o que devemos revelar e o que não devemos revelar?'

entrevista de emprego

Um ouvinte escreve: "Em entrevistas de emprego, o que devemos revelar e o que devemos guardar para nós? Eu, por exemplo, sou diabético e, além disso, sou muito religioso. Se eu não mencionar isso em uma entrevista, serei cobrado depois, caso seja contratado?"

Claro que não. Vamos começar pela condição clínica. Pode ser diabetes ou deficiência auditiva ou falta de coordenação motora ou transtorno bipolar ou inúmeras outras coisas. Quem padece de qualquer condição assim fica com aquele temor de que o entrevistador, antes mesmo de dizer "Bom dia", já irá perguntar: "Você tem alguma coisa que eu deva saber e você está com cara de quem não vai dizer, é isso?" Não acontece. E, se acontecesse, a resposta seria "Não, estou perfeitamente apto a exercer a função para a qual vou ser contratado."

No caso da orientação religiosa, menos ainda. Eliminar um candidato por esse motivo é uma discriminação, punível por lei. Depois da contratação, a orientação religiosa certamente aparecerá: ou será revelada pelo próprio funcionário ou será descoberta pelos colegas. Quando isso acontecer, explicações não serão necessárias. Cada um é livre para abraçar a religião que quiser, ou nenhuma, se assim preferir. E ninguém precisa dar satisfações públicas sobre a opção que fez.

Vamos incluir também na lista de coisas que não interessam a ninguém, a começar pelo entrevistador, a orientação sexual.

Em resumo, um candidato é contratado para realizar uma tarefa. Qualquer coisa que ele tenha ou seja, e que não irá afetar a vida dos demais colegas, não precisa ser dita na entrevista.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin