2016-06-08

'Como uma empresa sem plano de carreira pode existir?' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 08/06/2016, com uma ouvinte que trabalha em uma empresa com alta rotatividade de empregados.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

'Como uma empresa sem plano de carreira pode existir?'

empresa ruim

Uma ouvinte reclama: "Trabalho em uma empresa em que ninguém consegue ficar por muito tempo. Os pedidos de demissão são constantes e a chefia nem se incomoda em saber as causas. Leio muito sobre valorização de empregado, plano de carreira, avaliação de desempenho e outras coisas, mas aqui não tem nada disso. Pergunto como uma empresa assim pode existir no século 21?"

Bom, esse é um tipo peculiar de empresa, que pode se dar ao luxo de ir na contramão do que recomendam os manuais de recursos humanos. O trabalho deve ser rotineiro, fácil de executar e rápido de aprender. E por isso não há exigências de escolaridade dos candidatos e nem mesmo de experiência anterior. Os que são admitidos passam por um treinamento de meio dia, no máximo, e já começam a executar as suas tarefas.

Por isso, a empresa oferece muito pouco, tanto em termos de remuneração, quanto de carreira. Tudo isso leva os empregados a se demitirem quando recebem uma oferta igual, já que não irão perder nada se saírem.

Talvez a sua pergunta devesse ser: "O que eu ainda estou fazendo aqui?", uma vez que você está ciente de tudo o que uma empresa pode oferecer a um empregado com boas ideias e vontade de se desenvolver.

Não estou afirmando que a sua empresa seja ruim. Ela apenas encontrou uma fórmula para robotizar os seus empregados. Provavelmente ela dá lucro e isso faz com que ela não se preocupe em mudar o método de gestão.

Mas tudo isso é problema dela. O seu problema é encontrar um local adequado às suas expectativas profissionais. E você já descobriu que não será aí.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin