2016-06-07

Perguntar sobre gravidez durante a entrevista é discriminatório - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 07/06/2016, com uma ouvinte que foi perguntada em uma entrevista de emprego sobre se tinha planos de engravidar no futuro próximo.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

Perguntar sobre gravidez durante a entrevista é discriminatório

gravidez no trabalho

"Participei de um processo seletivo e fui aprovada", escreve uma ouvinte. "Na entrevista me foi perguntado se eu pretendia engravidar, porque sou casada há três anos e não tenho filhos. Respondi que não, mas isso não é bem verdade. Eu e meu marido estamos há algum tempo conversando sobre termos o nosso primeiro filho. Eu estaria enganando a empresa que me contratou se engravidasse com pouco tempo no emprego?"

Bom, para começar, essa pergunta sobre gravidez não poderia ter lhe sido feita na entrevista, por ser considerada discriminatória. Por isso, entrevistadores costumam chegar à resposta através de perguntas que são de interesse da empresa.

Por exemplo: "Você terá disponibilidade para viajar a serviço da empresa durante o próximo ano?" Aí não existe discriminação porque é uma pergunta que pode ser feita a candidatos de qualquer sexo, idade ou estado civil.

Agora, o seu caso. Se você pretende continuar a carreira depois de ter um filho, seria interessante você se firmar no trabalho antes de engravidar, mostrar que a sua contratação foi acertada e que a empresa irá querer ter você de volta após a licença maternidade.

De resto, o fato de você ter dito em uma entrevista que não pretendia engravidar, não é um compromisso profissional assumido. É uma decisão somente sua e do seu marido.

E caso você venha a engravidar e sofra alguma crítica de um superior na empresa, isso não seria uma justa cobrança, seria uma segunda discriminação.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin