2013-03-14

Entrevistas de emprego: Seja autêntico nas entrevistas - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 14/03/2013, sobre a autenticidade nas entrevistas de emprego.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

Seja autêntico nas entrevistas

entrevista de emprego

Um fator vital em entrevistas é o que se chama de gestual do candidato: como ele senta, onde põe as mãos, se ele apoia os cotovelos na mesa, se cruza as pernas, se cobre a boca com a mão quando fala... Bom, a lista é enorme. E entrevistadores profissionais estão sempre muito atentos a essa coleção de pequenos gestos, que dizem muito sobre um candidato antes mesmo que ele abra a boca e comece a falar.

Muitas vezes em minha carreira, eu entrevistei pessoas que me impressionaram profundamente. Para começar, elas entravam na sala com o que chamamos de postura vencedora: o corpo reto, a cabeça erguida, os passos firmes. Em seguida, apertavam-me a mão com força e confiança. E sentavam-se com a coluna reta, sem se esparramar na cadeira ou se curvar sobre a mesa.

E depois, durante a entrevista, a pessoa adotava o método do contato visual contínuo e prolongado. Quer dizer: ela me encarava o tempo todo, jamais desviava o olhar. Além disso, a pessoa mantinha as mãos sob controle, sem ficar recolhendo os clipes que estavam espalhados sobre a minha mesa. E cada frase dita era acompanhada de um gesto adequado, sem economias, nem exageros.

Assim que a entrevista terminava e o candidato saía da sala, eu dizia: "Ufa!" E imediatamente jogava o currículo dele no lixo. Porque eu ficava pensando: se essa pessoa for mesmo assim, eu não vou gostar nem um pouco de trabalhar com ela. E se ela estiver só encenando, eu vou gostar menos ainda.

Esse é o problema da maioria dos manuais de comportamento adequado em entrevistas. Eles ensinam tudo, menos aquele detalhezinho que mais queremos ver nas pessoas com as quais teremos que conviver dez horas por dia: autenticidade.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin