2014-11-21

Postar apoio a temas polêmicos em redes sociais pode prejudicar candidato em processos seletivos - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 21/11/2014, sobre como posts em redes sociais podem prejudicar um candidato a emprego em um processo seletivo.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

Postar apoio a temas polêmicos em redes sociais pode prejudicar candidato em processos seletivos

redes sociais

Uma ouvinte pergunta: "Postar apoio a temas polêmicos no Facebook e no Twitter pode me prejudicar em um processo seletivo na análise do RH de grandes empresas?"

Sim! Definitivamente. Não só em grandes empresas, como também nas menores. E não só nas duas redes sociais que você mencionou, como em qualquer uma que possa ser livremente acessada.

As redes sociais se tornaram um bálsamo para os avaliadores de currículos. Elas permitem saber muito mais sobre um candidato a emprego do que o currículo mostra ou do que uma entrevista pessoal revelaria.

Isso não quer dizer que empresas queiram contratar apenas funcionários que não tenham opinião sobre nada. Nada disso. Empresas apreciam funcionários autênticos, que defendam suas convicções, que saibam argumentar e que apresentem propostas novas.

Mas empresas também possuem seus códigos de conduta e seus valores empresariais. Se uma empresa afirma que é contra qualquer tipo de discriminação e um candidato a emprego posta em uma rede social, uma opinião que contrarie essa postura da empresa, ele será descartado do processo. E nem ficará sabendo quando, nem por quê.

E nem precisa, necessariamente, ser um tema polêmico. Se você postar, por exemplo, que só sobe na carreira quem for desonesto e puxa-saco, uma boa empresa não irá querer contratá-lo. Ou porque você não quer subir na carreira ou porque quer, e aí estaria disposto a ser aquilo que critica.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin