2018-03-22

Aceitar vaga um degrau abaixo pode ser impulso, e não retrocesso - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 22/03/2018, com uma ouvinte que recusou uma vaga para um cargo um degrau abaixo de sua expectativa.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

Aceitar vaga um degrau abaixo pode ser impulso, e não retrocesso

degraus na carreira

Uma ouvinte escreve: "Eu me candidatei a uma vaga de analista em uma empresa de grande porte, e fui bem na entrevista. Mas, ao final dela, o responsável me ofereceu um emprego numa função abaixo daquela para a qual eu estava sendo entrevistada e que, obviamente, pagava um salário mais baixo. Eu agradeci e recusei, mas não sei se foi uma boa decisão, porque até agora, ainda não consegui um emprego na faixa que pretendia."

Vamos lá. Muito provavelmente, durante a entrevista você não mostrou possuir todos os requisitos que a empresa desejava para a função de analista. Mas por outro lado, mostrou que tem potencial para chegar a ela, começando em uma função que lhe serviria como preparação e treinamento.

Se você não tivesse mostrado qualidades apreciáveis, não teria recebido a oferta que recebeu. Talvez você não devesse ter dado a resposta de imediato. Poderia ter pedido um dia para pensar e avaliado o que aquela empresa poderia lhe oferecer em termos de carreira.

Se era uma empresa sólida, de bom nome no mercado e com benefícios razoáveis, ter aceito a vaga um degrau abaixo daquele que você pretendia, poderia ser um impulso para a sua carreira, e não um retrocesso.

Bastaria você mostrar, na prática, que era melhor que a função, e não demoraria a receber outra função, mais adequada às suas aspirações.

Max Gehringer, para CBN.


Nenhum comentário:

Blog Widget by LinkWithin