'Como explicar a saída de um emprego sem falar mal da empresa?' - by Max Gehringer

2012-08-09 10:46 AM by Andarilho

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 09/08/2012, com uma ouvinte que não sabe como explicar a saída repentina de um emprego anterior sem falar mal da ex-empresa.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Como explicar a saída de um emprego sem falar mal da empresa?'

demissão aperto mãos

"Fiquei menos de três meses em meu último emprego", uma ouvinte escreve. Ela explica que tudo estava errado: "A empresa era ruim, o chefe era pior e os colegas eram todos conformados. Não aguentei e pedi a conta", diz a ouvinte, "e agora estou com problemas para conseguir um novo emprego. Tenho evitado fazer críticas à empresa que deixei, porque sei que entrevistadores não gostam disso. Mas, por outro lado, não sei que argumentos eu poderia usar para explicar uma saída tão rápida."

Vamos lá. Você está correta ao não sair falando horrores de sua ex-empresa. Não é que entrevistadores não gostem disso, é que eles não sabem se tudo o que um candidato está afirmando é mesmo verdade. E não teriam como comprovar, porque a empresa anterior, se for consultada, irá negar tudo o que o candidato diz.

Mas, pense o seguinte. Quem entrevistar você certamente vai perguntar por que você pediu a conta em tão pouco tempo. Mas, principalmente, a pessoa vai querer ter a certeza de que você não faria isso novamente. Você possivelmente está dando uma resposta politicamente correta à primeira pergunta, ao explicar que a empresa era até boa, mas que você não se adaptou a ela.

E agora vem a parte que interessa ao entrevistador: o mesmo motivo que levou você a se demitir não a levaria a ficar menos de três meses também na empresa atual? Eu creio que a melhor opção seria você absorver a culpa, confessar que se precipitou ao pedir demissão, mas que aprendeu a lição e nunca mais fará isso. E você nem precisa esperar que o entrevistador faça essa pergunta. Simplesmente emende a segunda resposta na primeira.

Em resumo, você está mais preocupada com o que o entrevistador tem menos interesse em ouvir, e essa preocupação está impedindo você de dizer o que ele quer ouvir.

Max Gehringer, para CBN.

1 comentários:

  1. Albuq said...

    Nessas horas a gente tem que fazer como jogo de xadrez, entender a jogada do adversário para articular a nossa.

Blog Widget by LinkWithin