2012-08-27

'Quais contas devo fazer para avaliar se uma proposta PJ é vantajosa?' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 27/08/2012, com alguns pontos a se considerar quando for fazer as contas para ver se compensa ou não passar de empregado a PJ (pessoa jurídica).

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Quais contas devo fazer para avaliar se uma proposta PJ é vantajosa?'

pj

Um ouvinte escreve: "Recebi uma proposta para trabalhar como PJ e gostaria de saber que contas devo fazer para avaliar se a proposta é vantajosa."

Vou começar pelo fim. Grosso modo: se você ganha 2 mil reais por mês como empregado efetivo, precisaria ganhar 50% a mais como PJ. Se ganha 20 mil por mês, poderia se contentar com 15% a mais. Isso porque na conta existem fatores fixos, variáveis e híbridos.

Os fixos são aqueles cujo valor é igual para todos os funcionários, como vale-transporte, vale-refeição e plano de saúde. Evidentemente, eles pesam muito para quem ganha salários mais baixos.

Os variáveis são os valores que acompanham o salário, como décimo terceiro e fundo de garantia. No caso das férias, o que vale são os dez dias que o empregado pode vender para a empresa. Financeiramente, os outros vinte dias não contam, porque o empregado os ganha sem trabalhar, mas o PJ pode ganhá-los trabalhando.

E no caso da contribuição ao INSS, o desconto é percentual, mas tem um teto. Acima de um determinado salário, o valor não muda mais. E finalmente há o imposto de renda, que tem tabelas diferentes para o empregado, que é uma pessoa física, e para o PJ, que é uma microempresa de uma pessoa só. E, sendo uma empresa, o PJ precisa pagar ISS e PIS/Cofins.

Vale lembrar também que algumas empresas podem oferecer benefícios adicionais a PJs, enquanto outras pagam somente o valor contratado.

Com tantas variáveis, a única maneira de chegar a um número exato é montando uma planilha. Não é difícil, mas é recomendável pedir ajuda a um contador, que de qualquer forma, também entrará na conta final. Porque um PJ precisa ter uma contabilidade feita por um especialista credenciado.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin