2014-02-07

'Colegas desconfiam que eu seja um informante da chefia' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 07/02/2014, com um ouvinte que não participa de encontros de colegas para falar mal da empresa e por isso está sendo excluído do grupo.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Colegas desconfiam que eu seja um informante da chefia'

funcionários fofocando

"Vivo uma situação desconfortável", um ouvinte escreve e explica: "Em meu departamento ocorrem dois pequenos encontros diários de colegas. Um pela manhã e outro a tarde, na salinha do café, para criticar ações de outros setores ou para ridicularizar os chefes e os diretores. Esses encontros são um festival de gargalhadas, com todos falando alto e procurando encontrar o maior número possível de defeitos nas pessoas e na empresa. Eu sou sério e esse tipo de comportamento não tem nada a ver comigo. Por isso nunca compareço aos encontros. O resultado é que fui colocado para escanteio. Desconfio que alguns colegas até suspeitem que eu seja uma espécie de informante da chefia. Como posso contornar essa situação desagradável?"

Sem dúvida, comparecendo aos encontros, ouvindo as bobagens que são faladas e rindo delas. O que você descreveu me parece muito mais uma brincadeira para amenizar a pressão do ambiente de trabalho do que uma demonstração de falta de apreço para com a empresa. Até me dá a impressão daquelas conversas de domingo em família, nas quais os parentes ausentes são motivos de críticas e piadas, sem que isso vá afetar a harmonia familiar quando todos se encontrarem.

Eu já mencionei outras vezes que um funcionário não conseguirá impor o seu estilo pessoal se ele agir de modo muito diferente dos demais colegas. Se esses encontros que você menciona já se tornaram uma rotina e se o desempenho da empresa nunca foi afetado por eles, a conclusão é a de que eles são inofensivos. E não vale a pena você criar um distanciamento por ser o único a desaprová-los.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin