2015-11-19

Oferta de emprego melhor pode ser um blefe - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 19/11/2015, com uma ouvinte que é chefe e cujo subordinado pediu um aumento para equiparar seu salário a uma oferta de emprego que ele diz ter recebido.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

Oferta de emprego melhor pode ser um blefe

proposta de trabalho

Uma ouvinte escreve: "Sou gestora de uma equipe e um dos meus subordinados me procurou para dizer que recebeu uma oferta de trabalho para ganhar 25% mais do que ganha aqui. Na conversa, ele afirmou que gosta muito da nossa empresa, que prefere permanecer nela e que ficaria se eu cobrisse a oferta que ele recebeu. É um bom funcionário, mas tenho dúvidas quanto ao que fazer. Não posso simplesmente propor à direção que conceda esse aumento, porque ele passaria a ganhar mais que os colegas que fazem o mesmo trabalho. Qual seria a sua recomendação?"

Bom, eu faria o contrário. Chamaria o funcionário para conversar, diria a ele que você e a empresa também sentem muito que ele saia, mas se for para o bem da carreira dele, adeus e boa sorte. Nessa conversa, informe a ele que você já começou a tomar medidas para substituí-lo e pergunte quando ele pretende pedir demissão.

Se a oferta que ele diz ter recebido for um blefe, ele irá lhe responder que ainda não é certeza, que não é para já e coisas do gênero. Se a oferta for realmente sólida, agradeça a ele pelos serviços prestados e deseje sucesso no novo emprego.

Por experiência pessoal, posso lhe dizer que, de cada três casos de funcionários que afirmam ter uma proposta para mudar, uma é blefe, porque a proposta não existe. E outra é meio blefe, porque a proposta até existe, mas não nas condições indicadas.

Portanto, nessa conversa direta, acredito que você terá uma chance em três, de manter o subordinado sem precisar prometer nada.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin