2014-10-04

Poemas - Estrelas cadentes

Porque hoje deu vontade de escrever, depois de anos. E os primeiros versos saíram muito rápidos.

estrela cadente

Estrelas cadentes

Somos todos como estrelas cadentes,
Caindo em direção ao esquecimento.
Enquanto brilhamos, brilhamos ardentes,
Vivendo nada mais que o momento.

Deixamos um risco brilhante no céu escuro,
E tudo o que restará será a lembrança.
Sem testemunhas, não chegamos ao futuro,
Não existe intrínseca esperança.

Cada estrela cadente é singular,
Assim como o é, cada onda do mar,
E tudo mais que nossa vã filosofia supunha.

Caímos e nos perdermos no vazio,
Em meio ao céu estrelado sombrio,
Que quase sempre é a única testemunha.


4 comments:

CintiaYamane said...

oohhh =O que legal.. lembrei dos acrósticos..
o que é intriseca?

Andarilho said...

intrínseca = o que está dentro, que faz parte da coisa

Sandra Costa said...

achei o seu blog por acaso e semanalmente dou um pulinho por aqui. achei o poema um pouco triste, apesar de belo.

parabéns pelo blog.

Andarilho said...

Olá, Sandra.

Muito obrigado pela visita.

Blog Widget by LinkWithin