2017-05-19

'Consegui ser promovida, mas não da forma que esperava' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 19/05/2017, com uma ouvinte que esperava ser promovida a gerente, mas foi promovida apenas a coordenadora.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

'Consegui ser promovida, mas não da forma que esperava'

mulher promovida no trabalho

Uma ouvinte escreve: "Trabalho em uma empresa que oferece boas oportunidades de carreira. Nos últimos três anos, me dediquei a meu trabalho com afinco, de olho em uma possível promoção. E finalmente consegui ser promovida, mas não da maneira que esperava. Meu setor tinha um gerente que foi demitido e eu passei a ocupar a função dele, mas não o cargo.

Ao demiti-lo, a empresa eliminou o título e eu assumi como coordenadora. Embora eu tenha todas as responsabilidades que ele tinha, não ganho o que ele ganhava. Tive só um pequeno reajuste e, principalmente, não me tornei gerente. A empresa pode fazer isso?"


Sim, pode. A definição dos títulos no organograma é prerrogativa da empresa. De modo geral, as empresas adotam nomenclaturas semelhantes, para que o mercado saiba em que posição o profissional está, mas não há uma lei que obrigue uma empresa a seguir uma cartilha de nomes.

No seu caso, parece-me que houve uma redução de custos, através da revisão de cargos e salários. Se isso ocorreu também em outros setores da empresa, só pode ser. Se ocorreu somente no seu caso, o seu setor foi rebaixado no organograma: ele não precisava ter um gerente.

Mas olhando pelo lado positivo, você foi promovida. E esta não será a última promoção da sua vida. Portanto a sua situação melhorou e a sua posição no mercado de trabalho também. Em seu currículo e em seus contatos, você pode se apresentar como gestora, um termo que o mercado adota e entende como sendo o de um cargo de responsabilidade.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin