2017-05-30

'Meus funcionários são viciados em redes sociais' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 30/05/2017, com um ouvinte que é gestor e que tem dois subordinados que são viciados em redes sociais.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

'Meus funcionários são viciados em redes sociais'

viciados em redes sociais

Um ouvinte escreve: "Sou coordenador de uma equipe de onze funcionários. Dois deles são, por assim dizer, viciados em redes sociais: não conseguem passar dez minutos sem checar mensagens e isso os torna dispersivos no trabalho. Já os alertei para esse fato, mas eles parecem não resistir à tentação. O que posso fazer a respeito?"

É interessante como alguns gestores estão se tornando compreensivos. Talvez seja influência de coisas que eles leem sobre assédio moral e que talvez possa levá-los a concluir que se tornou proibido sequer chamar a atenção dos subordinados.

O que você tem a fazer, se isso for possível, é estabelecer metas diárias numéricas para toda a equipe. Se a dispersão a que você se refere realmente existir apenas no caso dos dois ligados na rede, segue-se uma advertência verbal, outra por escrito e uma demissão. Se não for possível fixar as metas, a sequência é a mesma: aviso, advertências e demissão.

Pode-lhe parecer que essas medidas sejam um pouco extremas, mas você é pago para garantir que as tarefas serão executadas com a mesma eficiência por todos os subordinados. E que aqueles que estão trabalhando corretamente não achem que os que não estão, estejam sendo protegidos.

Advertências não precisam ser feitas em tom de ameaça, pelo contrário: seja claro, sem alterar a voz e sem se exaltar. Isso faz parte do seu trabalho.

Só tome o cuidado na hora de contratar os substitutos de perguntar se eles aguentam ficar um par de horas desligados de redes sociais.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin