2010-03-23

Quem quer fazer faculdade depois dos 30 anos, deve ter paciência e determinação - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 23/03/2010, sobre faculdade depois dos 30 anos.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

Quem quer fazer faculdade depois dos 30 anos, deve ter paciência e determinação

estudante terceira idade
"Tenho 34 anos e estou no quarto ano de administração de empresas", escreve um ouvinte. "Por motivos pessoais, não pude fazer um curso superior quando deveria ter feito. Em função disso, a minha carreira estacionou no primeiro degrau. Tive quatro empregos em quinze anos, mas nunca passei do nível de auxiliar, que é aquele nível, como você mesmo disse acertadamente no comentário, que a gente precisa usar crachá porque ninguém na empresa sabe nem o nosso nome. Minha dúvida é: ao me formar aos 35 anos, posso pensar em uma mudança sensível em minha carreira? Tanto em termos de função, quanto de salário."

Vamos lá. Se isso fosse uma coluna de auto-ajuda, eu lhe diria que sim, claro, sem dúvida. Mas como isso não é uma coluna de auto-ajuda, a resposta é um pouco menos reconfortante, embora não seja negativa.

Quando eu recomendo que pessoas que chegam aos 30 anos sem um curso superior, façam um, mesmo que elas achem que não precisam, eu não estou necessariamente afirmando que elas terão ganhos imediatos com isso. Estou dizendo que elas terão menos chance de perder uma posição que já conquistaram. Porque, no caso de uma demissão, dificilmente elas conseguiriam outra vaga parecida, porque todos os outros candidatos terão curso superior.

No caso do nosso ouvinte, o curso superior tem dois propósitos. O primeiro é o de funcionar como um seguro. Ele não correrá o risco de vir a ser dispensado por não ter, como seus colegas provavelmente têm, uma formação acadêmica desejável para a função que já ocupa. O segundo propósito é o investimento. Nesse caso, o retorno não será imediato. Ninguém dirá: "agora que você se formou, vamos promovê-lo a encarregado". Promoções levam em conta muito mais do que um diploma.

Além disso, eu acredito que a possibilidade de algo vir a acontecer na empresa atual, será remota. Mas o nosso ouvinte, com o curso superior, poderá começar a procurar outras opções, já sem aquele buraco na formação que ele tinha no currículo. Também provavelmente, o novo emprego que ele encontrará será no mesmo nível do que já ocupa, mas talvez, numa empresa melhor, e que ofereça mais oportunidades.

Em resumo, nosso ouvinte está dando um passo muito importante ao se formar. Agora, ele precisará ter, nas doses certas, determinação para não desistir e paciência para não achar que tudo o que não aconteceu em quinze anos, irá acontecer em seis meses.

Max Gehringer, para CBN.

4 comentários:

Perdido disse...

Ou seja, o diploma só serve pra garantir cela especial na prisão.

Anônimo disse...

PO, to admirado do Max falar uma coisa dessas, existem varios cursos, eu po ex. estou no 3º periodo de engenharia civil com 47 anos e não vejo nenhum ostaculo quanto a isso, o Brasil precisa de profissionais qualificados, e se vc tiver competencia a idade (experiencia) virá a seu favor e não contra

Fernando sevzatian disse...

Ou seja: você não encontrará um emprego com tanta facilidade. É complicado no passado tudo será mais simples agora tem esses empecilhos de idade, formação "o perfil". Eu não concordo muito com esse termo " barreira da idade". Por que o profissional não pode, com todas as suas limitações, ser um ótimo profissional e vestir a camisa da empresa?

Thatiane Sant` Anna disse...

Idade não é experiência. Experiência é tempo de serviço. Acredito que com 50 anos ter um currículo em mãos e nenhuma experiência na área vai precisar realmente de muita paciência até ter um salário bom.

Blog Widget by LinkWithin