2014-09-01

'Novo layout do escritório me colocou no meio da balbúrdia' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 01/09/2014, com uma ouvinte que teve seu ambiente de trabalho mudado e não está contente com isso.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Novo layout do escritório me colocou no meio da balbúrdia'

escritório barulhento

Uma ouvinte escreve: "Eu tinha um posto de trabalho razoavelmente distante do burburinho do resto do escritório. Isso para mim era ótimo, porque tenho tarefas que demandam muita concentração. Acontece que todo o layout do escritório foi mudado e eu fui transferida para uma mesa no meio da balbúrdia. É muito falatório, gente rindo ou gritando ao telefone, e tudo isso está afetando o meu rendimento. Já conversei com meu gerente e ele me disse que a mudança de layout foi decidida pela direção da empresa, para acomodar novos funcionários. O que eu faço? Vou conversar com a diretoria?"

Bom, eu poderia lhe dizer que, a não ser que o ruído esteja próximo de um nível insuportável, você não teria outro bom argumento para exigir um local sossegado. Poderia também lhe dizer que a sua atitude em não querer aceitar essa contingência da empresa pode ser interpretada como dificuldade de relacionamento ou refração a mudanças.

Eu poderia lhe dizer tudo isso, mas não vou. Porque eu era igual a você. Quando me acostumava a um local, ou mesmo a uma mesa, qualquer tentativa de me mudar já me despertava aquele sentimento ruim, de que eu não estava sendo tratado com consideração.

O tempo me ensinou que o melhor a fazer em situações assim é cooperar e encontrar maneiras de diminuir a insatisfação. Um discreto fone de ouvido para abafar o nível do barulho, por exemplo.

Mas no fundo, eu concordo com você. Móveis e utensílios podem ser mudados sem que ninguém precise perguntar a opinião deles. Gente, não.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin