2014-09-09

'Rapaz que também foi aprovado no mesmo processo vai ganhar mais do que eu' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 09/09/2014, com um ouvinte que acaba de ser contratado e acha que ganhará menos do que um colega que irá ter o mesmo cargo.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Rapaz que também foi aprovado no mesmo processo vai ganhar mais do que eu'

processo seletivo empresas

Um ouvinte escreve: "Participei de um processo seletivo para auxiliar administrativo em uma empresa de grande porte e fui aprovado. O selecionador me propôs um salário e eu aceitei, porque era o que eu estava imaginando que seria. Fiquei contente durante vinte minutos, tempo que levei para cruzar na saída com outro rapaz que também tinha sido aprovado no mesmo processo. Conversamos um pouco e descobri que ele vai ganhar mais do que eu. Isso não é proibido por lei? Devo voltar e conversar com o selecionador para entender se não houve algum engano?"

Calma. Sim, a lei impede que funções exatamente iguais tenham salários diferentes. Porém, em grandes empresas como a que contratou você, a denominação de auxiliar administrativo pode significar coisas diferentes se os setores forem diferentes.

Mesmo que vocês dois tenham participado de um único processo, pode ser que dois ou três setores estivessem recrutando auxiliares administrativos. E, no organograma da empresa, um auxiliar de setor fiscal, por exemplo, pode ter um salário diferente de um auxiliar do setor de expedição, se as exigências da função forem diversas.

Minha sugestão: comece a trabalhar sem partir do princípio de que você possa ter sido ludibriado no processo. Se você encontrar o tal rapaz na mesa ao lado da sua, fazendo exatamente o mesmo trabalho que você, aí a lei estará a seu favor. Mas não creio que isso irá acontecer. Grandes empresas não costumam cometer erros assim, elementares, no recrutamento.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin