2012-01-09

'Não sou uma pessoa muito querida na empresa' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 09/01/2012, sobre habilidades sociais são importantes para crescer na carreira.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Não sou uma pessoa muito querida na empresa'

trabalhador solitário

"Tenho uma dúvida que não sei bem como expressar", escreve um ouvinte. "Acredito que o resumo da ópera seja o seguinte: não sou uma pessoa muito querida na empresa. Não que eu me esforce para ser antipático. Nunca destratei ninguém, nem sou mal educado, nada disso. Mas mesmo assim, percebo que meus colegas me evitam.

É verdade que não paro meu trabalho para circular e bater papo, porque não é do meu feitio. Além disso, ser isolado não me causa nenhum problema de auto-estima. Até prefiro ser deixado em paz para me concentrar em meu trabalho. Só fico me perguntando se isso poderá ter alguma influência em minha carreira."


Vamos lá. Há uma lista, bastante grande, de habilidades que um funcionário que aspira a crescer na carreira, precisa mostrar. Uma delas, a qual pouca gente dá a devida importância, é a chamada habilidade social. Posso assegurar ao nosso ouvinte que qualquer funcionário prefere trabalhar com um colega simpático, amistoso e não muito competente, do que com um muito competente, mas arredio às relações sociais.

Porém, há empresas que por natureza privilegiam os empregados sérios e calados. E há outras que preferem investir naqueles que conseguem estabelecer um bom relacionamento com todos os colegas. Então, a pergunta é: na empresa do nosso ouvinte, que tipo de profissional é promovido? Os iguais a ele ou os diferentes dele? Se forem os iguais, ele não precisa mudar de comportamento.

Entretanto, o que talvez não faça falta agora poderá vir a ser um sério empecilho num próximo emprego. Ao menos por precaução, vale a pena o nosso ouvinte rever a sua posição de isolamento. Não para ganhar algum concurso interno de simpatia, mas para agregar à lista de habilidades que ele já tem, uma que poderá ser muito benéfica no futuro.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin