2012-02-29

No Brasil, 'depende' é uma medida quântica - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 29/02/2012, com mais um clássico do mundo corporativo, sobre o que significam algumas expressões usadas por brasileiros para designar o tempo.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

No Brasil, 'depende' é uma medida quântica

trabalhador preguiçoso

Como todo mundo já sabe, o Brasil é a bola da vez na economia mundial. E muitos estrangeiros têm vindo trabalhar em empresas brasileiras, ou negociar com elas. E a maioria se depara com uma dificuldade natural, que é compreender o modo como nós contamos o tempo no Brasil. Por isso, eu montei uma tabelinha para que os visitantes possam entender o que nós estamos queremos dizer quando alguém nos pergunta quanto tempo uma providência irá demorar.

A resposta mais comum é "depende". No Brasil, "depende" é uma medida quântica, porque envolve várias incógnitas, e todas desfavoráveis. Em algumas situações, "depende" pode até signficar imediatamente. Mas esse tipo de resultado até hoje só foi conseguido em testes científicos de laboratório e não é aplicável ao dia a dia.

Outra resposta é "já-já". Para quem ouve pela primeira vez, "já-já" pode parecer uma medida de tempo mais rápida do que "já". Mas é o contrário. "Já" quer dizer agora. E "já-já" quer dizer "assim que eu terminar de fazer o que eu dou a impressão de estar fazendo, vou pensar a respeito".

E tem também o "logo". "Logo" significa que uma providência pode levar entre cinco minutos e milhares de anos. Por exemplo, logo chegaremos a outras galáxias.

Outra frase que confunde é "na semana que vem". Porque todas as semanas futuras virão, cedo ou tarde. Portanto, qualquer semana entre a próxima e a última do século 21 pode ser, tecnicamente, classificada como a semana que vem.

E tem também "um minutinho", um intervalo de tempo que nada tem a ver com sessenta segundos e que raramente leva menos de dez minutos.

Finalmente há o "veja bem" e o "com certeza". A diferença entre os dois é que o "veja bem" é um "com certeza" mais detalhado. Mas as duas expressões significam a mesma coisa: depende.

Como se vê, não somos um povo muito complicado para entender, desde que ninguém fique aí nos apressando.

Max Gehringer, para CBN.

2 comments:

Anonymous said...

Hahaha. Pior que é desse jeito mesmo. As nossas medidas de tempo são todas relativas.

Suzi

Abstrações said...

esse Blogger tá maluco desde ontem...Anônimo,eu?!

Blog Widget by LinkWithin