2012-02-23

'Quem ignora as ostras nunca encontrará as pérolas' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 23/02/2012, com mais um clássico do mundo corporativo, com uma metáfora sobre pérolas, ostras e os tímidos (com um texto praticamente igual a este comentário de 2008: Pérolas, ostras e os tímidos).

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Quem ignora as ostras nunca encontrará as pérolas'

pérolas e ostras

A pérola é uma das pequenas maravilhas da natureza, tão bonita e tão rara, que a gente acaba usando a palavra como sinônimo de uma frase muito inteligente: "uma pérola de sabedoria".

Muito antigamente, acreditava-se que uma pérola era formada quando uma gota de orvalho descia do céu, através de um raio de luar, e caía no mar, onde era engolida por uma ostra. Isso, sem dúvida, é muito romântico, mas infelizmente está longe de ser verdade.

A pérola, na realidade, é um mecanismo de defesa da ostra. A parte interior da ostra, chamada de cólo, é constituída por um material muito delicado e muito sensível. E é para se proteger do mundo exterior, que a ostra vive fechada daquele jeito. Mas, apesar de todo esse cuidado, de vez em quando algum material estranho e irritante, tipo um grão de areia, acha um jeito de entrar na ostra, e de se instalar em seu cólo. E aí, a ostra reage, secretando um fluido para neutralizar o indesejado invasor. E então, dia após dia, ano após ano e camada após camada, o fluido acaba se transformando em uma pérola.

Nas empresas, eu conheci muita gente que passava o dia inteiro sem dizer uma só palavra. Eram pessoas tímidas ao extremo, que vivam fechadas em seus próprios mundos, e pareciam não ter a mínima vontade de se mostrarem sociáveis. E gente assim sempre acaba ficando com uma imagem de antipática. Com o tempo, essas pessoas passam a ser evitadas pelos colegas, porque os colegas pensam que é exatamente isso que a pessoa está querendo: distância.

Só que, muitas vezes, essas pessoas têm grandes contribuições para dar. E só não dão, porque são tímidas. De cada 10 pessoas, pelo menos duas padecem de timidez. Não porque elas querem ser assim, mas porque elas são assim.

Por isso, quando a gente convive no trabalho com uma pessoa tímida e fechada, como uma ostra, vale a pena tentar achar uma brecha e se aproximar. Porque quem ignora as ostras, nunca encontrará as pérolas.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin