2012-02-08

Filme: À Beira do Abismo

Um dos grandes problemas hoje em dia é o excesso de informações. Quando se fala em filmes, essa enxurrada de informações pode tanto ajudar, instigando o espectador a assistir o filme, quanto pode prejudicar, quando revela mais do que deveria para se aproveitar o filme. Esse último caso é o que acontece com À Beira do Abismo (ou no original, Man on a Ledge), um filme que é bem razoável caso você não saiba nada sobre ele. E de preferência, não ter visto nem o trailer. Por isso, se você ainda pretende assisti-lo, aconselho a pular este post. Particularmente, eu fui ver o filme sem saber absolutamente nada sobre ele e tive uma boa diversão.

filme à beira do abismo poster cartaz

Bem, se você continua lendo, ou não vai ver o filme, ou então já viu, ou ainda não dá a mínima mesmo. Você foi avisado. Uma das coisas interessantes de À Beira do Abismo é como o filme vai se descortinando aos poucos. Este é um filme de roubo, um filme de golpe. Mas, ao contrário de Inception, por exemplo (um filme de golpe super sci-fi), ou de Onze Homens e um Segredo, À Beira do Abismo não segue a cartilha de ir apresentando os personagens responsáveis pelo golpe e seus papéis, tendo quase sempre um novato na equipe (que representa o espectador), para o qual tudo precisa ser explicado. De fato, o filme começa e você tem poucas pistas: conhecemos o personagem principal, Nick Cassidy (Sam "Avatar" Worthington), que se hospeda em um luxuoso hotel, abre uma janela e sai do quarto, ficando na beirada do parapeito no prédio. Através de um flashback, ficamos sabendo também que ele é um ex-policial que foi condenado a 25 anos de prisão e que conseguiu escapar da prisão quando obteve permissão de sair para ir ao funeral do pai. Volta para o momento presente, quando uma multidão se aglomera para ver o homem "à beira do abismo", como sugere o exagerado título nacional. A polícia chega, e Nick pede especificamente para falar com a policial Lydia Mercer (Elizabeth Banks), especializada nesse tipo de negociação (de potenciais suicidas).

filme à beira do abismo sam worthington elizabeth  banks

A partir daí, o filme se desenrola, revelando aos poucos os seus personagens importantes e a história que levou a essa situação, bem como qual é o golpe, afinal. Dirigido pelo estreante Asger Leth (que só havia feito um documentário até então) e escrito por Pablo F. Fenjves (vindo de filmes de TV), À Beira do Abismo sente uma certa imaturidade, mas nada que estrague completamente a diversão. O filme apresenta algumas boas reviravoltas (como é no caso do irmão de Nick, Joey Cassidy, interpretado por Jamie Bell, o menino bailarino de Billy Elliot) e algumas que são bem forçadas (como o caso do pai de Nick). Aliás, algumas coisas são tão desnecessárias que acabam ficando bobas, como é o caso das cenas da repórter.

filme à beira do abismo sam worthington

Apesar disso, À Beira do Abismo é um filme potencialmente divertido. O alívio cômico na forma das discussões de Joey e sua namorada Angie (Genesis Rodriguez) durante o golpe são tão absurdas que são engraçadas. Além disso, mesmo que sejam cenas totalmente gratuitas (que nos animes é chamado de fan service), as cenas em que Angie mostra seus dotes latinos são ótimas. Longe de mim, reclamar da linda Genesis Rodriguez de lingerie, se enfiando numa roupa de couro/látex. Voltando a falar de atuações, mais especificamente, destaque para Ed Harris, que mesmo caricato, garante bons momentos como o vilão "do mal".

filme à beira do abismo genesis rodriguez

Com cenas de suspense e ação nada inovadoras, mas bem feitas (como por exemplo, aquele velho clichê da gota quase caindo e pondo tudo a perder, já vista em desde Missão Impossível quanto em Homem-Aranha), a primeira grande cena de ação de À Beira do Abismo poderia retratar bem o filme. A cena em questão é a da fuga no cemitério, em que o personagem de Worthington rouba um carro e foge pelo cemitério, conseguindo sair dali e no final, sendo parcialmente atingido por um trem. A cena em si é bem convencional, mas o final dela (o trem atingindo a traseira do carro quando ele está tentando atravessar os trilhos para despitar os policiais) é bem supreendente. E assim é o filme, com cenas convencionais com algumas boas reviravoltas. Mas isso, se você não leu esse texto e nem viu o trailer que eu vou colocar aqui no final. Eu avisei...

Trailer:



Para saber mais: crítica no Omelete.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin