2014-01-23

'Teste de português deixou de ser feito em admissões?' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 23/01/2014, sobre a importância do português na carreira.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Teste de português deixou de ser feito em admissões?'

língua portuguesa

Um ouvinte escreve: "Sou professor de um curso de pós-graduação em uma universidade muito conceituada. Gosto de dar aulas, mas uma situação me chama a atenção e me preocupa. O nível de meus estudantes, todos devidamente graduados, é bem baixo no tocante ao português. Fico assombrado com os erros elementares que eles comentem ao redigir. E mais assombrado ainda porque muitos deles ocupam ótimos cargos em empresas de porte e ganham excelentes salários.

Com extremo cuidado para que ninguém se ofendesse, sugeri à classe uma imersão em português, com professores particulares. Mas nenhum dos alunos me levou a sério. Imagino que eles ignorem a dimensão do problema. Pergunto se o teste de português deixou de ser feito por empresas nos processos de admissão?"


Não, não deixou. O teste continua a ser feito e reprova mais da metade dos candidatos. Mas isso só acontece nos processos para vagas iniciais, como assistentes ou auxiliares. Ao contratar um engenheiro, por exemplo, empresas não testam o conhecimento dos candidatos em gramática e ortografia. Porque em funções muito técnicas a redação pouco irá influir no resultado do trabalho.

Mesmo concordando com a sua aflição e preocupação com o nosso idioma, sinto dizer-lhe que empresas não têm a obrigação de suprir deficiências que vem desde o ensino básico. Mas o seu conselho é válido para quem está entrando agora no mercado de trabalho.

Saber escrever corretamente está se transformando em um diferencial. E por isso, quem domina o português, falado e escrito, tem bem mais chances de seguir adiante em processos de seleção.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin