2015-03-19

Não sei se fico no emprego burocratizado onde ganho mais - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 19/03/2015, com um ouvinte que não sabe se fica num emprego em que ganha bem, mas que tem poucos desafios intelectuais, ou se muda.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

Não sei se fico no emprego burocratizado onde ganho mais

ganhar mais

Um ouvinte escreve: "Troquei um emprego em que eu tinha que pensar e planejar, mas ganhava pouco, por um emprego burocratizado em que ganho bem mais, mas me sinto como uma ameba, fazendo tudo mecanicamente. O que faço, fico ou saio?"

Bom, se você olhar para as pessoas, e elas não são poucas, que estão procurando um emprego como esse que você tem agora e não conseguem encontrar, você certamente deveria ficar e se sentir feliz.

Mas na carreira existe algo que chamamos de realização profissional, que é a soma de ganhar bem e se sentir bem. A infelicidade geralmente ocorre quando uma dessas duas coisas não está presente no trabalho. Se fosse obrigatório optar por uma das duas, não tenho dúvidas de que o dinheiro seria a preferência da maioria. Mas essa não é uma decisão compulsória.

O que você pode fazer, sem deixar que a falta de estímulo prejudique o seu desempenho e sem se desligar da empresa atual, é usar o emprego que você tem como base para procurar outro trabalho que possa lhe proporcionar mais prazer intelectual, mesmo que seja com uma pequena redução salarial.

O importante é que você já experimentou os dois lados e agora pode decidir, com mais confiança, o que deseja.

A mesma situação vale para quem ganha bem, mas em um ambiente opressivo, e quem não sofre pressão, mas ganha mal.

O que é melhor? Pelo jeito, o melhor sempre parece ser aquilo que não temos. Até o dia em que conseguimos e descobrimos que não era bem aquilo o que queríamos.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin